A História do Figurino da Mulher Maravilha

junho 13, 2017



O filme Mulher Maravilha já foi lançado nesses últimos dias e está sendo sucesso de bilheteria, afinal, com todo o movimento do protagonismo feminino que vivemos atualmente, uma heroína tão empoderada não poderia passar por despercebida. Ela brilha, brilha nas telas dos cinemas e na moda também! Seu figurino precisa ser a altura de seu empoderamento!
E não é de hoje que este figurino faz sucesso. Aqui vai uma evolução do que a Mulher Maravilha vem usando desde sua criação há 76 anos atrás, pelo desenhista Willian Moulton, no auge da Segunda Guerra Mundial, num universo totalmente machista no qual não haviam protagonistas de HQ do sexo feminino. Aliás, vale salientar que sua criação foi inspirada em pensamentos que baseiam o movimento feminista da atualidade de equidade de gêneros e direitos políticos!

O Primeiro desenho, em 1941

Três anos depois de sua criação, na sua estréia na DC Comics

A atriz Lynda Carter na série As Novas Aventuras da Mulher Maravilha, sucesso no fim dos anos 70

A personagem em 1974, com Cathy Lee Crosby para um filme na TV ABC.

Adrianne Palicki para uma série no Canal Warner, Em 2011

A capa oficial da personagem em exposição de 2015, em Hollywood 

Desenho da heroína em especial da DC Comics lançado este ano


O sentimento de representação é tão forte que ao terminar o filme e sair da sala do cinema desejamos algo que perdure, como objetos que gritem por nós todas o quanto somos capazes. Muitos designers inspiraram-se no visual da heroína para criar suas coleções. Ano passado a Valentino dedicou uma coleção-cápsula à ela. Em 2011 a M.A.C criou produtos baseados na personagem. Este mês o Jean Paul Gaultier relança um dos seus perfumes mais clássicos, que leva o próprio nome, com embalagem inspirada no visual da Mulher Maravilha. E a Risquè acabou de lançar uma coleção homônima de 6 cores de esmaltes, numa campanha super empoderada.


Posts relacionados

0 comentários

Instagram @blogelainetereza